Home»Podcast»Decrépitos 69 – Bastidorzão Linguiça 4

Decrépitos 69 – Bastidorzão Linguiça 4

5
Compartilhamentos
Pinterest Google+

episodio-69

Boooooooooooom diiiiiiiiiiiiaaaaaaaaaaaaa, Brasil!! O país que mata a onça mas não deixa de fazer corridinha da tocha olímpica!!

Hoje Daniel BayerJoão Carvalho e Rafael Mordente voltam ao mais amado, detestado e famigerado BASTIDORZÃO LINGUIÇA!! Com tudo aquilo que rolou nos bastidores do menino Decrépitos!

Você vai descobrir como funciona o ~brainstorm~ que define os temas dos episódios (e que na maioria das vezes não dá certo), vai ouvir a PIOR idéia para um episódio especial de dia dos namorados que nunca aconteceu, vai assistir ouvir com a gente um trailer bizarro de um filminho de terror e conhecer a linda história de amor envolvendo um monza e um pote de maionese.

OUÇA OU BAIXE:

ALTA 96 KBPS ZIP 96 KBPS

Duração: 46 minutos e 18 kg de maionese.


OFERECIMENTO: SAPIENS SOLUTIONS

  • Hospedagem
  • Web Sites
  • Loja Virtual
  • Softwares

Avenida do Contorno, 2905, Conjunto 405 – Santa Efigênia – Belo Horizonte – MG

 (31) 3236 – 1414 – www.sapiensolutions.com.br


SEJA NOSSO PATRÃO!

CRÍTICAS, PITACOS, OPINIÕES E SUGESTÕES!

Comenta aí no post ou manda um e-mail pra gente: [email protected]

SIGA A GENTE POR AÍ

FEED

Assine o nosso Feed ou adicione o Decrépitos no seu iTunes

Post Anterior

Decrépitos 68 - Simples Prazeres Mundanos

Próximo Post

Decrépitos 70 - Muito bom, recomendo! 5 (Filmes)

20 Comentários

  1. fscoparo
    21 de junho de 2016 at 12:19

    Terça sem decrépitos é igual a vida sem a morte.

  2. 21 de junho de 2016 at 13:50

    Caralho, de novo? Já faltando assunto? Chamem convidados, cacete.

    • Fábio Pitombeira
      21 de junho de 2016 at 15:00

      Deve estar pagando uma fortuna no Patreon pra tá reclamando, hein.

      • Decrépitos
        21 de junho de 2016 at 18:16

        hahahah boa

  3. ThallisPHP
    21 de junho de 2016 at 15:45

    Na década de 30 pelo Arquiduque já morto. Kkkkkkkk

  4. Felipe Drux
    21 de junho de 2016 at 18:48

    Não sei pq tem gente que reclama de bastidorzão, eu acho do caralho.

  5. 21 de junho de 2016 at 20:20

    Dica pro próximo Decrépitos: Mesopocast!

  6. Wellington
    21 de junho de 2016 at 23:01

    Como é o nome do filme do trailer? Não entendi o nome que o João falou.

    • Murilo Vieira
      22 de junho de 2016 at 02:20

      Ich seh, ich seh

    • Luan Ferreira
      22 de junho de 2016 at 15:41

      Goodnight Mommy .

  7. Fraga
    22 de junho de 2016 at 03:26

    qual o nome da banda da maionese?

    • rodrigo
      22 de junho de 2016 at 10:09

      Qual o nome da banda do Maionese?

    • 8 de outubro de 2016 at 13:41

      Capital Inicial

  8. Carlos Greenberg
    22 de junho de 2016 at 04:12

    Caralho, tem alguém mastigando um Doritos febroso lá pelo meio do podcast. Impossível ouvir até o final com esse barulho na orelha. No mais, gosto bastante de vcs quando não estão mastigando. 🙂

  9. IcaroBrendel
    22 de junho de 2016 at 06:19

    So teve 3 acústicos mtv em 2000, considerando que Arte Popular não teve DVD e que o Lulu Santos não estava na pior, a galera do Capital inicial fez bom uso do pote de maionese.

    • rodrigo
      22 de junho de 2016 at 10:11

      eu também achei que era do Capital Inicial, mas nunca li sobre o fato, pensei também no Ira…. eu gosto é quando nos bastidores tu vé um prato de barro de oferenda no meio do palco..

      • IcaroBrendel
        22 de junho de 2016 at 17:48

        Mas o acústico do ira é de 2004.

  10. Davi Jucimon Monteiro
    22 de junho de 2016 at 10:31

    Eu gosto de Bastidorzão, mas ainda espero o podcast sobre Cavaleiros do Zodíaco. hue

  11. Marcelo Suave
    5 de julho de 2016 at 17:49

    Eu realmente precisei de mais de seis horas pra digerir a decepção que é ver esse “Goodnight Mommy”

  12. Willian Berserk
    26 de julho de 2016 at 11:57

    caraaaaaalho eu lembro que tinha assistido Ö dia da besta”com uns amigos , e a parte que o bode se levanta e anda de duas patas, e de se cagar kkkkkk ficou na minha mente até hoje.